PARÓQUIA
SÃO SEBASTIÃO

igreja matriz - barra mansa

NAVEGUE PELO SCROLL DO MOUSE
CEB Santa Teresinha festeja sua Padroeira no bairro Boa Sorte 2: “É preciso reconhecer e retribuir os milagres de Deus”

A Missa da Padroeira da CEB Santa Teresinha, bairro Boa Sorte 2, Paróquia São Sebastião, Barra Mansa, Diocese de Barra do Piraí Volta Redonda, em 1º de outubro, foi presidida pelo padre Renê de Oliveira (SVD). Na meditação ao Evangelho, o padre comentou sobre os milagres que Deus faz na vida de todos e nem sempre são reconhecidos.

“Jesus no Evangelho de hoje fala sobre as cidades de Betsaida, Corazim e Cafarnaum que não acolheram a palavra de Deus. Jesus falou duramente sobre o destino que poderia ser evitado para que as pessoas entendessem o sentido do Evangelho. Nosso Senhor Jesus Cristo quis dizer que aqueles que se fecham para o amor de Deus e sua palavra, não as ouvem, se fecham, não acolhem aqueles que foram enviados para anunciar a verdade, são algozes de sua própria vida. Quem não segue Jesus Cristo, não é a favor da justiça de Deus. Ele chama a atenção daqueles que se fecham para a dimensão da caridade, aqueles que se trancam para as coisas do alto. O Senhor passou pelas cidades de Betsaída, Corazim e Cafaranaum e as pessoas não o seguiram, ficaram na deles. Ele fez tantos milagres e mesmo assim não o acolheram. E nós, quantos milagres recebemos de Jesus? Será que prestamos atenção nestes milagres? O milagre não acontece só porque merecemos não! O milagre denuncia as realidades de morte. Deus desce e faz os milagres, não abandona o ser humano. Muitas pessoas recebem milagres e cantam vitória individualista. Não é assim que devemos retribuir! É preciso praticar a caridade, a justiça e a partilha como forma de retribuição ao Senhor pelos milagres que recebemos a todo tempo de Deus. Isto tem a ver com Santa Teresinha, que com sua simplicidade, viveu para o Senhor por inteiro, nos pequenos gestos, grandes milagres de Deus em sua vida. Foi por isso que testemunhou Jesus amando-o plenamente. Ela jogou pétalas de rosas na imagem de Cristo, no pátio de seu convento e disse que quando morresse choveria pétalas de rosas. Por isso sua imagem é associada às rosas. Todos nós carregamos uma cruz e temos que saber como carrega-las e ajudar os outros também a carregá-las. Quantas pessoas estão doentes, precisando de uma ajuda, de uma visita, uma oração, o que faz com que outra se restabeleça. Isto é um milagre! Temos que agir como o agricultor que planta para os outros que vão se beneficiar de seu trabalho. É uma forma de se libertar do egoísmo e do individualismo. Isto também é um milagre! Os cristãos católicos, não podem buscar o sucesso momentâneo, das riquezas materiais, mas na singularidade de Santa Teresinha, que amou Jesus de verdade”, ressaltou padre Renê.

No fim da Missa, padre Renê rezou a Oração a Santa Teresinha, aspergiu o povo com Água Benta e deu a Benção final.

Vagner Mattos